A VÍTIMA DE QUEM CORTOU O MAL NA PRÓPRIA CARNE

Por ocasião abertura do IV Forum Global de Combate à Corrupção, em Brasília, Em Junho de 2005, O Ex-Presidente Lula, questionado sobre os escândalos dos Correios e da IRB-Brasil Resseguros, garantiu que não encobreria casos de corrupção, que fossem comprovados em seu governo.

Lula citou, naquela oportunidade, que demitiu toda a Diretoria dos Correios e a da Brasil Resseguros, e garantiu, com uma frase que a mídia esconde, por ser verdade, e por ter sido cumprida por todos os seus dois mandatos e mais os de Dilma Roussef: “Cortaremos na própria carne se necessário”

A frase foi repercutida pelos principais veículos de mídias e portais.

Para cortar o mal na própria carne, o governo teve que estruturar os organismos de combate as investigações: O Ministério Público, a Polícia Federal e a Controladoria Geral da União(CGU).

Naqueles entes governamentais, houve concursos publicos para provimento de cargos e aumento do número de pessoal para o mister de combate à corrupção.

A Polícia federal, que no governo Fernando Henrique Cardoso, não passava de 4800 agentes, saltou para mais de 22 mil; a CGU aumentou seu limite de ação dentro da estrutura do Estado para se fazer presente na análise, auditagem e pareceres dos contratos públicos e seus desdobramentos.

“no meu governo levarei as investigações até as últimas conseqüências. Por isso jurei a Constituição. Sou o principal guardião das instituições deste país, funcionário público número 1′, afirmou 

Significa que os governos, dele e da atual presidenta, não jogarão para baixo do tapete as sujeiras infectas da corrupção.

E o que se tem visto hoje, são as investigação caminhando até o cerne do governo, sem que haja um engavetador geral da União a esconder os inquéritos que lhes chegam.

No governo Tucano, havia o engavetador Geral da União, que não deixava que os processos fossem adiante, engavetando as denúnicas contra os amigos do poder, e no poder;

O Diretor Geral da Polícia Federal, de então, ou era filiado ao PSDB, ou pertencia aos quadros dos partidos da base governamental: PFL, hoje DEM, ou PPS. Daí, a facilidade com que tudo era obstruido, a fim que as falcatruas não viessem a público.

Hoje, o cidadão é massacrado com a informação de que, quem rouba a Petrobrás é o governo, quando deveria dar graças por saber, que a partir do momento que as investigações foram permitidas, ele está sabendo quem são os ladrões. Seja do governo, ligado a ele, ou funcionário, que ao longo do tempo, dentro da instituição, obtinha lucros por meios ilícitos, e que hoje sabemos quem são, e por quem foram colocados lá.

O mal continua sendo cortado na própria carne, mas a mídia oposicionista insiste em repassar, repercutir ao cidadão o inverso do que está sendo feito.

O governo virou a vítima, quando cortou o mal na própria carne.

 

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: